O que fazer em casos de cartão clonado?

Os cartões bancários estão sendo cada vez mais usados pelas pessoas. O dinheiro está sendo substituído pelas transações utilizando cartões de crédito ou débito, e essa é uma consequência da tecnologia e modernidade. Contudo, a cada dia que passa, aumentam as reclamações de vítimas que tiveram seu cartão clonado.

 

Passar por esse tipo de situação é um dos maiores medos do brasileiro. E não é para menos. De acordo com a Confederação Nacional dos Dirigentes Lojistas (CNDJ), 8,9 milhões entre os anos de 2018 e 2019.

 

Já durante a pandemia de covid-19, o número de pessoas que foram vítimas de clonagem de cartões disparou, e quase metade das fraudes ocorreram por meio de transações na internet.

 

Apesar dos algoritmos de segurança dos bancos e dos avanços constantes em proteção de dados, um cartão clonado pode gerar diversos prejuízos. Contudo, não é necessário se desesperar e parar de usar os seus cartões. Eles são uma facilidade para a vida, desde que usados de forma segura.

 

Quer saber como você deve agir para evitar passar por situações como essa? Ou se você está passando por isso agora, quer saber quais são os seus direitos em casos como esse?

 

Continue lendo o artigo e descubra todas as informações a respeito desse assunto.

 

O que é a clonagem de cartão?

Antes de entender como evitar ter o cartão clonado, é necessário nos aprofundarmos um pouco sobre o conceito de clonagem de cartão.

 

Quando esse termo veio à tona pela primeira vez, as informações do cartão (número, código de segurança, data de nascimento e nome) ficavam armazenadas na tarja preta. O que acontecia no momento das fraudes, é que o golpista copiava esses dados após a vítima passar o cartão na maquininha.

 

Hoje em dia, não é mais assim. Ao invés da tarja preta, a maioria dos cartões possuem chips contendo as informações do objeto e do titular. Assim, as informações não podem ser roubadas no momento de uso.

 

No entanto, assim como a tecnologia avança e melhora os padrões de segurança, os golpistas também refinam os seus métodos. Confira abaixo alguns dos métodos que podem ser utilizados para fraudar um cartão.

 

  • Phishing: esse é um dos tipos de golpes mais utilizados hoje em dia, e ocorre quando o estelionatário cria uma página ou e-mail falso divulgando ofertas. Assim, quando a pessoa insere os dados para realizar a compra, o golpista tem acesso a todos os dados da vítima.

 

  • Cadastro em aplicativos desconhecidos: fazer o cadastro em aplicativos é normal, e muitas vezes, necessário. Se você costuma usar uber ou ifood, teve que fazer isso. 

 

Porém, é extremamente arriscado colocar os seus dados em aplicativos que você não conhece, pois o seu celular pode ser acessado por alguém que possui más intenções, ou o servidor do aplicativo ser hackeado.

 

  • Compras online: da mesma forma que nos aplicativos, se você cadastra os seus dados em sites e marketplaces e não apaga depois, está correndo perigo. O site pode ser hackeado, e os seus dados vazados.

 

  • Roubo por atendentes: ao entregar o cartão para um atendente, ele pode fotografar os seus dados, sem que você perceba.

 

Como saber se tive o cartão clonado?

 

As operadoras de cartão possuem sistemas extremamente avançados, a fim de identificar possíveis fraudes que podem ocorrer com os cartões de seus clientes. Ao ocorrer algum gasto suspeito, a instituição costuma bloquear a transação e o cartão, e averiguar se realmente não se trata de alguma operação fraudulenta.

 

No entanto, a forma mais efetiva para detectar se o cartão foi ou não clonado, é verificando a fatura do cartão. Ao analisar o valor que deve ser pago referente aos gastos do mês, é perceptível quando uma compra não foi realizada por você.

 

Além disso, os aplicativos de banco têm o registro de todas as compras detalhadas, só é necessário analisar as informações e ver o que foi comprado e quando. Porém, é importante ficar atento a possíveis equívocos. Isso porque às vezes realizamos uma compra, e nos esquecemos de que havíamos feito.

 

Ainda, muitas empresas aparecem na fatura do cartão com um nome diferente, muitas vezes difícil de reconhecer. Por isso, é importante se atentar a data e hora de compra, como também o valor do que foi adquirido.

 

Se você analisou todos esses detalhes, e mesmo assim não reconhece a compra, a possibilidade do seu cartão ter sido clonado é bem alta.

 

O que fazer ao ter o cartão clonado?

O primeiro de tudo, ao perceber que o seu cartão foi clonado: não se desespere. Óbvio que é difícil não entrar em desespero, principalmente quando a quantia que foi descontada é um valor muito alto, mas é importante que você esteja calmo para resolver esse problema.

 

No momento em que você tiver a certeza de que a compra não foi feita por você, faça o bloqueio imediato de seu cartão. É possível realizar essa operação, tanto com uma atendente, quanto pelo seu aplicativo.

 

Em seguida, comunique à sua operadora o que ocorreu. Cada instituição tem um procedimento diferente, mas o padrão é o bloqueio do cartão, emissão de um novo, e a devolução do dinheiro na próxima fatura.

 

Porém, a melhor atitude é a prevenção de possíveis fraudes. Você pode fazer isso seguindo as dicas abaixo:

 

  • Só realize compras em sites conhecidos e seguros;
  • Use o cartão online para realizar compras na internet, e depois o exclua;
  • Nunca poste vídeos ou fotos com o seu cartão;
  • Não empreste o cartão para ninguém, mesmo que seja de sua família;

 

Lembre-se: quanto mais rápido você tomar providências, menores são os danos.

 

Se você teve o seu cartão clonado, e está passando por dificuldades para resolver esse problema, nós podemos te ajudar a solucionar o seu caso de forma simples e prática. Os nossos advogados são especialistas em Direito do Consumidor, e irão te guiar na resolução do problema pelo qual você está passando. Qualquer que seja o seu problema, podemos ajudar. 

 

Clique no link abaixo e resolva a sua situação


Quero resolver meu problema